Sorteio de Aniversário do Blog

quarta-feira, 30 de abril de 2014

Macfuquiando!

A gente Brinca pra ser Feliz!


terça-feira, 29 de abril de 2014

Porque gostamos tanto do Fusca?

Por Gabriel Vieri Santos

Um dos carros usados que mais faz sucesso de vendas é o Fusca (pode-se constatar isso nos cadernos de classificados, pela quantidade de Fuscas em venda e de pessoas a procura) e sabe por quê?
Porque ele é muito amado em todo Brasil, é um ícone que acompanha os brasileiros durante diversas gerações e ainda está forte nas ruas para demonstrar o seu poder e o carisma que exerce sobre a população brasileira.

Amado pelo povo brasileiro

O Fusca não tem tecnologia de ponta, não tem direção hidráulica, freios ABS, air-bag ou ar-condicionado, mas como dissemos anteriormente, tem um lugar privilegiado no coração do povo, e falando em povo, você sabia que o nome da marca Volkswagen significa traduzido do alemão “carro do povo”?
E constata-se que o objetivo da marca foi alcançado com excelência.
Historicamente falando, esse carro foi introduzido na Alemanha em 1930, existia inclusive uma promoção na qual as pessoas compravam um álbum e deveriam colocar selos, e quando o álbum estivesse completo, eles poderiam trocar por um Volkswagen, porém naquele período nenhuma pessoa ganhou esse excelente prêmio porque estourou a Segunda Guerra Mundial no ano de 1939 e consequentemente a produção foi transferida para o campo de batalha. No Brasil o veículo desembarcou pela primeira vez no Porto de Santos em setembro de 1950, a partir do ano de 1959 começa-se a produção do Fusca no Brasil, no ano de 1967 registra-se a marca de quinhentos mil veículos fabricados. Já em 1972 apresentam o balanço de um milhão de carros e em 1976 essa marca chega à dois milhões. No dia 31 de outubro de 1986 alcança-se o número de 3.321.250 fuscas produzidos desde 1959 e encerra-se o ciclo de produção deste veículo no Brasil.
Em 1993 Itamar Franco propõe a retomada da fabricação do Fusca, fabricando assim 47.700 até o ano de 1996.
Ou seja, em números o Brasil fabricou 3.367.390 unidades de Fusca, que continua fazendo sucesso pelas estradas de todo o Brasil.

Licença das fotos: Fuca by Filipe Soares Dilly (CC BY-SA 2.0)
Sessão Fusca Conversível by Luciano Meirelles (CC BY-SA 2.0)

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Brucutu 0Km

Por Reynaldo Rodrigues

Em 2007 lendo uma revista automotiva, vi uma interessante matéria sobre o esguicho de água do para-brisa do fusca, “o brucutu”, resolvi tentar encontrar um pra meu fusca, na época um 1965 verde amazonas. Confesso que desanimei, porque estive em diversos encontros de carros antigos, dentro e fora de São Paulo, minha cidade, também estive em mercados de pulgas, lojas especializadas etc, todos com quem eu conversava diziam: “Amigão. brucutu é mosca branca de olhos azuis”.
Então resolvi fazer uma busca na internet, e quando eu estava já desanimando de procurar, apareceu um anúncio que me deixou até desconfiado de sua procedência: “Peça em ótimo estado, completa, nova e na caixa”.
Pra mim mais parecia com aqueles anúncios de cura miraculosa, fique rico trabalhando em casa etc (risos). Quando questionei o vendedor, que era da cidade de Curitiba, ele informou que uma pequena loja auto-peças que ele visitou em sua cidade, havia liquidado há alguns anos o estoque da concessionária Copava, também desta mesma cidade, e o forte deles eram peças de carros mais modernos.
No meio das peças ali estava uma pequena caixa amassada e gasta pelo tempo e, ao abrir lá estava ele, o famoso BRUCUTU. Por não servir no seu atual fusca, um Volkswagen Sedã 1962, resolveu vender, e o felizardo pelo arremate foi eu em 13/09/2012, exatamente 05 anos de árdua procura.
Eu gostei tanto desta pequena peça, e de sua curiosa história, de quando foi apelidado justamente por causa de um personagem das histórias em quadrinhos, o Brucutu, um bruto homem das cavernas, e da famosa música “Brucutu”, cantada na mesma época (Jovem Guarda – 1965 a 1969), que virou moda e, a partir daí começou a dor de cabeça dos proprietários de fusca, mais isto é outra história, que vocês poderão acompanhar na seguinte matéria: http://macfuca.blogspot.com.br/2014/01/brucutu-e-jovem-guarda.html.
Minha pequena coleção de Brucutus: 
Para os apaixonados pelo besouro também poderão acompanhar minha outra coleção nos links abaixo: http://macfuca.blogspot.com.br/2013/03/brucutu-da-moda-ao-acessorio.html; http://macfuca.blogspot.com.br/2013/03/loja-caos-e-o-emblema-da-kombi.html; http://macfuca.blogspot.com.br/2013/04/brucutu-novas-aquisicoes.html; http://macfuca.blogspot.com.br/2013/07/brucutu-e-otras-cositas-mas.html; http://macfuca.blogspot.com.br/2013/08/da-colecao-do-reynaldo.html; http://macfuca.blogspot.com.br/2013/12/novas-pecas-do-reynaldo.html; http://macfuca.blogspot.com.br/2014/01/brucutu-e-jovem-guarda.html

domingo, 27 de abril de 2014

Abotoaduras da Alma


Sou o tipo de cara que gosta de abotoaduras.
Não que o meu orçamento acompanhe o dos que normalmente usam, mas por uma questão de gosto pessoal e detalhe estético.
Sempre acreditei que todo o homem feito tem a chance de se esconder atrás de um bom terno e uma boa gravata.

Minha salvação é o Carpinejar fazendo propaganda de moda masculina.
Tô me sentindo.

Mas o que me trás a estas linhas não são os requintes pessoais.
Talvez por de trás das abotoaduras esteja um cara que procura constantemente colocar tudo sempre em seu lugar.
Ou aparentar um possível controle que internamente nunca achou.

Ontem cheguei em casa antes de todos, um pouco mais cedo que o normal.
Subo as escadas e encontro as coisas fora do lugar.
Sobre minha cama as cobertas retorcidas da mesma forma quando sai da cama pela manhã.
No quarto do meu filho cobertas, livros, trabalhos e controles remotos misturados aos lençóis e cobertor.
As portas do armário abertas, em cima do teclado algumas peças de roupas espalhadas com a cara de que sofreram na aula de educação física.
No quarto da minha filha nada diferente.
A cama desfeita e sobre a escrivaninha algumas folhas que ela recorta e outras tantas onde ela desenha o que a vida lhe deu capacidade de fazer.
Pela sala os mesmos chinelos espalhados da mesma forma como estavam um pouco antes de eu ir deitar.
Antes mesmo de tirar a gravata comecei a colocar tudo no seu devido lugar.
Começando pelo meu quarto.
Depois entrei no quarto ao lado que é do meu filho, fecho as portas do armário aéreo antes que a minha testa as feche.
Fui arrumando pouco a pouco as coisas.
Ao mesmo tempo em que organizava a casa me dava conta que em casa arrumada demais a vida não acontece.
Todo mundo levanta, faz o que precisa e sai.
Corre-se o dia todo.
Normalmente a rotina não é o que se gostaria de estar fazendo.
Faz parte.
Fiquei pensando ao passo em que esticava as cobertas como é triste não contar com a bagunça que a vida nos proporciona.
Como será triste o dia em que os quartos dos meus filhos estiverem tão organizados que eu não mais os reconheça.
A gente cansa.
Sim a gente cansa de muita coisa idiota que vida nos apresenta, o problema é que precisamos dividir o que é trabalho do que é vida em família.

Colocada a bagunça em ordem terminei de tirar a gravata que até então só tinha afrouxado o nó.
Abri os botões da camisa e retirei as abotoaduras.

Não demora a porta bate e a turma começa a chegar.
Vozes ocupam o vazio do corredor, as mochilas, bolsas e casacos ficam pelos cantos e a casa retoma a sua forma natural.

Sim, a bagunça da casa é “As abotoaduras da alma”.

sábado, 26 de abril de 2014

Mais uma!

Mais uma demonstração de como vale a pena ser  honesto com as nossas convicções.
Quem não deve não teme a companhia dos amigos e quando a gente fala de coração mesmo que erre a turma fica unida.
Afinal a gente realmente construiu amizades.!



sexta-feira, 25 de abril de 2014

Macfuquiando!




quinta-feira, 24 de abril de 2014

Que roda é essa?


quarta-feira, 23 de abril de 2014

Sempre cabe mais um!

Na conta da Fabi e do Angelo ter mais um fuca não significa somente quantidade mas sim "raridades".
Nem sei mais listar tudo que eles já tem na garagem mas o que importa é que esse 66 com motor 1200 é mais um que se une a essa bela coleção.
As imagens foram enviadas pela Fabi quando o 66 esteve fazendo a reforma do estofamento com o meu amigo Chu.
Não teria profissional melhor escolhido para receber esse trabalho.
Quem tem fusca, ama fusca! Portanto sabe muito bem o que esta fazendo.
Basta ver as imagens para entender o que digo.








terça-feira, 22 de abril de 2014

Suspensão Encurtada - Mais imagens


Neste post mais algumas imagens complementando o serviço do fusca do Fernando feito na oficina Aschi.
Lembrando que esse quadro foi encurtado em 50mm de cada lado.
Recebeu freio a disco com pinça de Corsa e 5 furos no tambor e pivo.

















segunda-feira, 21 de abril de 2014

Energia Positiva

Precisa dizer mais alguma coisa!

domingo, 20 de abril de 2014

Mac Choco Fusca!

Feliz Páscoa!

sábado, 19 de abril de 2014

Mac luz!


sexta-feira, 18 de abril de 2014

Na fusca & Cia

A pedido de quem não conseguiu ler a matéria da edição 104 que não se encontra mais nas bancas, segue a reportagem feita na revista Fusca& Cia.
Como diz meu amigo Danilo Sobral esse sim é um bom troféu pra quem ama o seu fusca.

Afinal de contas agora tem gente que encosta em avaliador de encontros de fuscas e derivados exclusivamente pra tirar o teu nome da lista de premiações nos eventos.
Abra o olho porque ele vai em quase todos.

Chupa!




quinta-feira, 17 de abril de 2014

Recuperando Sonhos!


Meu amigo Sérgio Dutra começou esse trabalho de brincadeira tudo com a proposta de simplesmente recuperar essas relíquias que fizeram e fazem parte da vida das pessoas.
Andar de bicicleta sempre foi uma diversão, ainda que hoje de acordo com o complexidade do trânsito das cidades, ela seja encarada como o transporte alternativo.
Bom de qualquer forma o fato de recuperar e transformar alguns destes antigos modelos também faz movimentar não só as pernas mas a sentimento afetivo 
que muitas vezes se guarda por de trás dos objetos.
Quem não teve uma bicicleta que marcou sua época?
Mesmo aquela que nunca conseguimos ter e ficou só no sonho, como no meu caso. 
Sonhava em ganhar na infância uma caloi 5 marchas que era o modelo para crianças na época.
Um dia chego no quarto do meu pai e vejo uma caixa escondida perto do dia do Natal.
No minha cabeça estava certo, vou levar a minha caloi 5 marchas.
Não foi bem o que se escondia ali. Ganhei uma bancada da Black & Decker mas uma furadeira e uma tico-tico! Nem sempre se leva o que se quer, ainda assim aquilo que não esperava durou por anos e claro me transformou em um fazedor de coisas!Vamos voltar então ao assunto principal. O Sérgio de uma brincadeira acabou profissionalizando o serviço e hoje recupera essas bicicletas dos sonhos. Ele pode refazer a sua ou então criar um modelo exclusivo baseado em velhos quadros abandonados pelo tempo. Um serviço de mestre. Nessa vida todo mundo que dedica o seu tempo a recuperar o passado, faz da atividade uma terapia e dentro destra proposta ele coloca a sua disposição esse serviço exclusivo.
 Os detalhes vocês poderão ver no cartão no post e o serviço nas imagens abaixo.
Ligue e recupere o seu sonho do passado!











quarta-feira, 16 de abril de 2014

Um passado de qualidade!

Outro dia na oficina de uma amigo reparei em um belo exemplar de fuca que estava estacionado para fazer uma revisão.
Olho pra variar para os detalhes e acessórios e me chamou a atenção a qualidade dessa polaina no
para-lamas traseiro.
Detalhe só tinha polaina na traseira.
Agora olha só a qualidade do material.
Em aço inox que nem as que uso no Mac porém com uma borracha na parte superior para não arranhar a lataria na hora de colocar e envolvente como podemos ver na foto.
Coisa que só se via no passado, como provavelmente é o caso desta.
Coisa do passado.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Mactrike pronta pra escorregar!

E finalmente consegui adaptar o banco e terminar o projeto da Mactrike.
Ficou conforme o esperado.
A decida que pegamos foi só pra sentir o gostinho de rodar porque o domingo já estava terminando mas deu pra sentir que as emoções serão fortes.
Fernandão aprovou o brinquedo e o pai na curtição de ver a trike deslizar!